Escute LP´s antigos e os digitalize com esse toca-discos

Avaliação de Airton Lopes / Este toca-discos tenta agradar tanto os saudosistas do vinil quanto os que gostam de ouvir músicas em MP3. Além de reproduzir LPs, o aparelho possui uma dock para que as faixas sejam digitalizadas e salvas em iPhones e iPads compatíveis, o que exclui modelos com conector lightning. O processo é simples. Basta encaixar o dispositivo da Apple, posicionar a agulha e iniciar a gravação usando o aplicativo EZ Vinyl and Tape Converter. A divisão das faixas em arquivos separados é automática, mas nem sempre funciona como deveria. As músicas digitalizadas podem ser reproduzidas no iPhone pelo aplicativo EZ Vinyl, porém, só aparecerão na biblioteca do dispositivo da Apple se forem exportadas para o PC e sincronizadas pelo iTunes. A digitalização dos vinis também é feita ligando o iLP ao computador pela porta USB. Neste método, a conversão é mais rápida, dá para escolher entre os formatos e definir a qualidade do arquivo final. Nos testes do INFOlab, a divisão automática por faixas no PC foi bem mais precisa.

Avaliação de Lucas Massao / Quem tem saudades da época dos Long Plays, ou LP´s e quer reviver o som e a sensação de utilizar uma vitrola vai ficar feliz com o ION Audio iLP, um aparelho que reproduz os “bolachões” e faz a digitalização das músicas para iPhone, iPod touch e iPad.

A reprodução dos LP´s pode ser executada em três velocidades: 33,45 e 78 rotações por minuto. Para ouvir basta conectar um aparelho de som na entrada RCA.

Porém a função mais interessante é poder digitalizar as músicas gravadas nos Long Plays. Existem duas alternativas de transferência para realizar a ação: Diretamente para dispositivos Apple ou para o computador. É importante ressaltar que o iLP usa a conexão de 30 pinos, utilizada em aparelhos da Apple até a 4ª geração do iPod touch e 3ª geração do iPad e dos iPhones 4 e 4S.

O aplicativo EZ Vinyl and Tape Converter é requesito obrigatório durante o processo e está disponível para os três gadgets e PC.

O processo “Apple” é simples: basta conectar seu iGadget, abrir o aplicativo, ajustar o nível de ganho, abaixar a agulha e iniciar a gravação. Infelizmente não é possível escolher o formato ou a qualidade dos arquivos. Eles são exportados com a codificação AAC 128 Kbps e no formato MP4.

Os arquivos digitalizados só são reproduzidos no próprio aplicativo e podem ser transferidos pela internet (digitando o ip do iGadget em um aparelho que esteja conectado na mesma rede) ou pelo computador. Vale ressaltar que durante a conversão online o dispositivo da Apple não pode entrar em modo de espera. Caso isso ocorra, o processo é interrompido.

As faixas são divididas automaticamente, mas a divisão apresentou algumas falhas.

Por causa do sistema de separação das músicas pelo silêncio entre as faixas, o iLP se confundiu com vinhetas, palmas de shows ao vivo e pausas presentes nas canções.No final da gravação, o aplicativo te dá opção de nomear os artistas, álbuns e faixas.

A conversão para o computador é feita através da porta USB do iLP. O modo possui algumas vantagens: escolha de formato (AAC ou MP3), taxa de quadros, divisão de faixas mais precisa e maior rapidez. Os arquivos são salvos diretamente no HD.

É recomendável desconectar um dispositivo enquanto o outro está sendo utilizado já que não é possível realizar duas transmissões simultâneas. A dock não pode ser utilizada para reproduzir músicas do PC fora do processo de digitalização.

 

Fonte: http://info.abril.com.br/reviews/acessorios/ion-ilp.shtml

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s