Dicas do Windows 7: como fazer um backup de seus arquivos em um disco virtual

Aprenda a criar um disco virtual e fazer uma cópia de segurança de seus arquivos, tudo com ferramentas do próprio Windows

O uso diário do computador nos faz acumular um grande volume de informações. Com certeza, no meio de tantos dados, alguns deles são importantes e acabam, por vezes, sendo mantidos sem cópia de segurança. Para evitar perda de dados, fazer backups regularmente é realmente essencial a fim de manter os dados de seu computador seguros.

A partir do Windows 7, a Microsoft fez melhorias significativas na ferramenta de backup, com destaque para o fato de o backup agora ser inteligente, salvando apenas os dados que foram incluídos ou alterados após a última cópia de segurança efetuada. Outro dispositivo que ficou bem mais simples foi a criação de unidades virtuais no Windows.

Reunir essas duas ferramentas do próprio Windows pode ser uma grande estratégia para armazenar seus backups. Além de criar sua cópia de segurança, em um disco virtual, ela pode ser copiada integralmente para outro local de sua escolha (como um disco externo) ou compartilhada na rede local. Além disso, também é possível utilizá-la em dispositivos como máquinas virtuais.

Como essas são vantagens úteis em determinadas situações, a BIHelp montou um tutorial para ensiná-lo a criar um novo disco virtual e armazenar seu backup nele.

Criando o disco virtual (VHD)

Primeiro, vamos montar a unidade que será utilizada para armazenar os arquivos. Para isso, comece clicando com o botão direito do mouse sobre o ícone do “Computador” na Área de trabalho e escolha a opção “Gerenciar”. O mesmo pode ser feito a partir do atalho “Computador” no “Menu Iniciar”.

Abrindo o gerenciamento do computador

Em seguida, selecione a opção “Gerenciamento de Disco”. Então, acesse o menu “Ação” e escolha “Criar VHD”.

Iniciando a criação do VHD

Uma nova janela é aberta e nela você deve definir as propriedades de seu novo disco virtual. Primeiro, em “Local” digite o caminho para a unidade (ou utilize o botão “Procurar” para localizar). Em seguida, no campo “Tamanho”, digite o valor que você deseja e selecione uma medida (MB, GB ou TB) na caixa de seleção ao lado. Por último, defina as configurações de tamanho.

A opção “Expandido dinamicamente” faz com que o disco aumente seu tamanho fixo máximo à medida que novos arquivos são armazenados. Ele não é compactado posteriormente, mesmo que os documentos sejam retirados. “Tamanho fixo” utiliza como tamanho máximo o valor fornecido pelo usuário e é a opção mais recomendada para utilização.

Criar e conectar o disco

Após definidas estas configurações, aguarde alguns instantes para que o Windows crie seu novo disco. O tempo tomado por esse processo varia conforme o tamanho da unidade montada. Quando o disco virtual (VHD) já estiver disponível na janela do Gerenciamento de disco, clique sobre ela com o botão direito do mouse e selecione a opção “Inicializar disco”.

Inicializando o disco

Uma nova janela é aberta e nela você deve selecionar a unidade (no caso o disco criado) e definir o estilo de partição adotado pelo Windows. Há duas opções “MBR” e “GPT”. O estilo recomendado é o “MBR”, pois o “GPT” além de não ser reconhecido por algumas versões anteriores do Windows, costuma ser utilizado para partições grandes (maiores do que 2 TB) ou computadores baseados em Itanium.

configurações da partição

Depois de tudo definido, clique com o botão direito do mouse na área logo ao lado de seu disco (deve estar com uma cor diferente, como mostraremos na imagem abaixo) e selecione a opção “Novo volume simples”.

Criando o volume

Feito isso, um assistente é inicializado para auxiliá-lo no processo de configuração de seu novo disco. A primeira etapa solicita que você escolha um tamanho para a partição (que deve ser digitado no campo “Tamanho do volume simples em MB”). Ele deve estar entre o valor máximo e mínimo exibidos na tela, podendo ser igual ao maior.

Primeira etapa do assistente de configuração

Na segunda etapa, você deve efetuar a formatação da unidade. Para isso, selecione “Formatar este volume com as seguintes configurações” e em seguida defina o Sistema de arquivos utilizado (recomendado NTFS). O tamanho da unidade de alocação deve ser deixado como “Padrão” e, no campo “Rótulo do volume”, digite o nome para seu disco virtual. Por fim, selecione o campo “Executar uma formatação rápida”.

Segunda etapa, formatando a unidade

Por último o assistente informa que sua nova partição está pronta para o uso.

Assistente concluído

Ao acessar novamente a pasta “Computador”, é possível observar sua nova unidade.

Unidade montada

Para efetuar o backup, você tem duas opções. Uma delas é simplesmente arrastar os arquivos desejados para a nova unidade ou efetuar o backup com a ferramenta disponibilizada pelo Windows.

Efetuando o Backup com a ferramenta do Windows

Para isso, digite “Backup e Restauração” na barra de execução do Windows, e selecione a opção correspondente à ferramenta.

Abrindo a ferramenta de Backup

Em seguida, na nova janela aberta clique em “Configurar backup”.

Iniciando as configurações de Backup

Uma nova janela é aberta e nela você deve escolher o local no qual seu backup será criado. Entre a lista de opções, localize seu novo disco e selecione-o.  Em seguida, você precisa escolher os arquivos para backup. Há duas possibilidades: “deixar o Windows escolher” ou “deixar que eu escolha”.

Definindo configurações de Backup

Na primeira delas, o sistema operacional efetuará o backup de arquivos salvos em blibliotecas, no desktop e em pastas padrão do Windows, além de criar uma imagem que pode ser utilizada para restaurar o computador caso seja necessário. Na segunda, uma nova tela é aberta para que você decida o que deve fazer parte da cópia de segurança (recomendada se você quiser proteger apenas alguns poucos arquivos ou pastas).

Então, uma nova janela é aberta para que você escolha o que integrará seu backup.

Definindo o conteúdo para Backup

Em seguida, uma janela é exibida para que você possa conferir o que foi escolhido e fazer alterações caso seja necessário. Se você quiser configurar o intervalo de tempo e horário no qual os backups serão efetuados (criar um agendamento), clique em “Alterar agendamento”. Uma nova janela permite que você defina a frequência, dia e horário para que o Windows efetue backups automaticamente.

Agendando o backup

Quando tudo estiver conforme desejado, basta confirmar para voltar à tela anterior. Então, clique em “Salvar configurações e executar backup”. Feito isso, o programa inicia o primeiro backup do sistema. O andamento da operação pode ser acompanhado em tempo real por meio da barra de progresso exibida.

Backup em andamento

O processo em si costuma tomar um tempo considerável, porém o primeiro é particularmente mais longo. Isso porque os próximos são incrementais, ou seja, somente é copiado o que tiver sido alterado em seu computador – dentro do que está definido para receber cópia de segurança.

Ao final, você observa que seus arquivos estão devidamente copiados VHD, conforme solicitado. Se você precisar restaurá-los, pode simplesmente “arrastar” os documentos para fora da unidade virtual ou dar um duplo clique do mouse sobre o arquivo de backup e escolher a opção de restauração adequada.

Efetuando Backup com Cobian

Para quem não gosta da opção do backup com a ferramenta padrão do windows, ou tem uma versão anterior ao windows 7, vamos mostrar como realizar o backup através de uma ferramenta gratuita chamado Cobian. Neste caso estamos usando a versão 9, mas qualquer outra pode ser utilizada usando o mesmo tutorial.

Instalando o Cobian Backup 9
Instalar o Cobian Backup 9 é fácil. O programa de instalação foi cuidadosamente projetado para ajudá-lo a instalar o programa como um aplicativo ou como um serviço. Você não precisa desinstalar versões antigas do programa antes de instalar a nova. O programa de instalação irá fazer isso para você.

Imagem postada

Para instalar o programa, basta executá-lo e aceitar o contrato de licença. Em seguida, clique em Avançar para continuar a instalação.

Selecione o diretório onde pretende instalar o programa. Se você optar por instalá-lo em um diretório onde exista uma versão antiga, o programa irá desinstalar a versão antiga e manter suas listas e sua configuração. Se você não deseja criar nenhum ícone no menu Iniciar, desmarque a caixa de seleção.

Este é o momento mais importante na instalação. Você precisa decidir se deseja instalá-lo como um aplicativo ou como um serviço. Um serviço é um aplicativo que SEMPRE é executado em segundo plano, mesmo quando nenhum usuário estiver conectado à máquina. Porque Cobian Backup 9 é um agendador, é fortemente recomendado instalá-lo como um serviço.

Imagem postada

Se você instalá-lo como um serviço, deve levar algumas coisas em consideração: Se você instalá-lo sob a conta local do Sistema, você pode não ter acesso a outras máquinas na rede, por isso, se você está planejando acessar outras máquinas, selecione Instalar sob a conta. Entre, em seguida, a identificação do usuário e senha da conta a ser usada.

Alguns sistemas não permitem que contas tenham senhas em branco para executar um serviço, então use uma conta com uma senha. Se você estiver usando uma conta que pertence a um domínio, utilize a sintaxe Nomededominio\Conta.

Usando o Cobian Backup 9
Quando a instalação estiver concluída, você será capaz de acessar o programa através do ícone na bandeja do sistema. Dê um duplo clique no ícone Amanita (Cogumelo) para abrir o programa.

Imagem postada

Antes de usar Cobian Backup 9 pela primeira vez, é uma boa idéia verificar as opções do programa. Cobian Backup 9 é altamente configurável e quase qualquer definição pode ser alterada. Clique no botão Opções e selecione Ferramentas.

Aqui você pode até mesmo alterar a forma como o programa funciona (como um serviço ou como um aplicativo), sem a necessidade de reinstalar o programa!

Imagem postada

Criando minha primeira tarefa
Quando você cria uma nova tarefa, uma caixa de diálogo aparecerá. Aqui, você precisará digitar um nome para a tarefa e selecionar o tipo de backup que deseja criar. Os tipos disponíveis são: Backup Completo, Incremental, Diferencial e Fantasma.

Um backup completo apenas copia todos os arquivos, incremental copia somente arquivos novos e modificados DEPOIS do último backup e o diferencial, arquivos novos e modificados depois do ultimo backup COMPLETO. O fantasma não fará backup algum, você só pode usá-lo para executar alguns eventos, como iniciar programas, etc.

Imagem postada

Na seção Arquivos, você precisa escolher a Origem (os arquivos e diretórios que você deseja copiar) e o Destino (o lugar que guardará a cópia de seus arquivos). Você pode entrar com várias origens e destinos. Se você inserir vários destinos, uma cópia de seus arquivos será armazenada em cada destino.

Imagem postada

Você pode fazer o backup de arquivos individuais, pastas ou sites FTP.

Na seção Programar, você pode selecionar quantas vezes quer que esta cópia de segurança seja executada. Você pode escolher entre: manual, diária, semanal, mensal, anual ou em intervalos de tempo, utilizando a opção Cronômetro.

Imagem postada

Aqui você pode escolher se pretende criptografar os seus dados com qualquer um dos métodos disponíveis e/ou se você quer compactar seus backups.

Imagem postada

Na seção Especial é possível adicionar exceções à regra geral. Você pode adicionar arquivos a serem adicionados ao backup, ignorando os outros, ou você pode adicionar os arquivos que serão excluídos do backup.

Imagem postada

Por exemplo, você pode adicionar a máscara *.mp3, o que significa que qualquer arquivo mp3 encontrado na fonte será ignorado.

Às vezes, pode ser necessário fechar um programa antes do backup começar. Alguns programas abrem arquivos no modo exclusivo, portanto um backup desses arquivos irá falhar se o programa estiver aberto.

Imagem postada

Você pode usar os Eventos para resolver este problema. Por exemplo, adicionar um evento para fechar o programa (MS Word, no meu exemplo) antes de iniciar o backup. Quando a cópia de segurança termina o Word poderá ser aberto novamente, acrescentado outro evento para depois do final do backup, dizendo para executar o programa Word.

Às vezes, alguns problemas podem surgir com permissões. Suponha que seu serviço está sendo executado sob a conta A, mas você quer fazer backup dos arquivos que pertencem à conta B. Se A tiver poderes de administrador, então está tudo bem, mas se A for um usuário comum?

Imagem postada

Você pode “emular” o usuário B nesta tarefa. Dessa forma, as tarefas serão executadas como se A fosse B, e então terá acesso aos arquivos de B. Quando terminar as tarefas, o programa vai voltar a rodar sob o usuário A.

CONCLUSÃO:
Trata-se de uma das mais completas ferramentas de backup gratuitas da atualidade. Leve, rápido, fácil de usar e ainda totalmente em Português do Brasil. Ferramenta indispensável em qualquer computador, seja você um usuário doméstico ou avançado.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s